PRAJNA PARAMITA SUTRA



SUTRA DO CORAÇÃO

Quando o Bodhisatva da compaixão Avalokitesvara praticava as profundezas de Prajna Paramita ele claramente percebeu o Vazio e a não existência de todas as coisas, livrando-se dessa forma da dor e do sofrimento.

Ó Sariputra, aqui a forma é o vazio e o vazio é a forma, tudo que tem forma é exatamente o vazio e tudo que é vazio é exatamente a forma.

Dessa maneira as sensações, as concepções, a discriminação e a consciência são também vazias e desprovidas de substância.

Ó Sariputra, o vazio de todas as coisas não foi criado e não pode ser destruído e dessa maneira no vazio não há forma, não há sensações, não há discriminação e não há consciência. Não há olho, não há ouvido, não há nariz, não há língua, não há corpo e não há mente, não há cor, não há som, não há cheiro, não há gosto, não há tato e não há fenômenos.

Nada existe desde o reino da visão até o reino da consciência, não há ignorância nem a extinção da ignorância, não há nascimento, não há sofrimento, não há causa do sofrimento, não há velhice, não há morte, não há extinção do nascimento, extinção do sofrimento, da velhice ou da morte, não há sabedoria e iluminamento e nada há para ser ganho. Como nada há para ser ganho, o Bodhisatva vive em Prajna Paramita e não há obstáculos em seu coração, e sem obstáculos não há medo e muito além dos pensamentos ilusórios, ele atinge o Nirvana.

Todos os Budas do passado, do presente e do futuro obtiveram completa sabedoria e perfeito iluminamento praticando Prajna Paramita.

Saiba então e repita o Grande Mantra, o brilhante e inigualável mantra que completamente elimina todo sofrimento, verdadeiro além de qualquer falsidade.

Gate, gate, paragate, parasamgate, Bodhi Svaha! Prajna Paramita!