MESTRE KEIZAN (KEIZAN ZENJI)



Seguindo Dogen Zenji, a luz do Darma foi transmitida a Ejo Zenji, em seguida para Gikai Zenji, e mais tarde para Keizan Zenji, que foi o quarto ancestral na linhagem da Escola Soto Zen.

Keizan Zenji nasceu em 1264 na Província de Echizen, onde fica atualmente a Prefeitura de Fukui. Sua mãe, Ekan Daishi, era devota de Kannon Bosatsu (Avalokiteshvara), Bodisatva da compaixão. Diz-se que ela estava a caminho de uma pequena capela dedicada a Kannon quando deu a luz. Por esse motivo, o nome que Keizan Zenji recebeu ao nascer foi “Gyosho” (Prática-Vida).

Aos 8 anos de idade ele raspou a cabeça e entrou em Eiheiji, onde ele iniciou sua prática sob o terceiro abade, Gikai Zenji. Aos 13 anos de idade ainda em Eiheiji, foi oficialmente ordenado monge sob Ejo Zenji. Após a morte de Ejo Zenji ele praticou sob Jakuen Zenji em Hokyoji, localizado na atual Prefeitura Fukui. Observando que Keizan Zenji ainda não havia desenvolvido sua habilidade para liderar monges, Jakuen Zenji o escolheu para ser ino, o monge encarregado da prática dos outros monges.

Diferente de Dogen Zenji, que explorava em profundidade o eu interior, Keizan Zenji se destacou ao olhar para fora e espalhar corajosamente os ensinamentos. Para a Escola Soto Zen, os ensinamentos desses dois fundadores estão intimamente conectados. Ao espalhar largamente o Caminho de Buda, um deles tinha um método mais internalizado enquanto o do outro era mais externo.

Depois de anos de prática em Quioto e Yura, Keizan Zenji tornou-se monge residente de Jomanji na Província de Awa (atual Prefeitura de Tokushima). Ele estava com 27 anos de idade. Ao longo dos quatro anos seguintes, ele transmitiu os preceitos Budistas a mais de setenta praticantes leigos. A partir disso é possível compreender o voto de Keizan Zenji de libertar todos os seres através do ensinar e transmitir o Caminho.

Ele também se destacou ao enfatizar a igualdade entre homens e mulheres. Encorajava bastante suas discípulas a tornarem-se monjas residentes. Em uma época na qual as mulheres eram injustamente marginalizadas, essa atitude foi pioneira. Acredita-se que essa tenha sido a origem da organização das Monjas da Escola Soto Zen, e foi por esse motivo que muitas mulheres se refugiaram em Buda, Darma e Sanga.

Keizan Zenji voltou finalmente a Daijoji, na atual cidade de Kanazawa, onde se tornou o segundo abade, seguindo Gikai Zenji. Foi nesse templo onde proferiu os teishos sobre o Denkoroku (Anais da Transmissão da Luz). Esse livro explica as circunstâncias através das quais o Darma foi transmitido de Shakyamuni Buda para os vinte e oito ancestrais na Índia, para os vinte e três ancestrais na China, para Dogen Zenji e Keizan Zenji no Japão, até o professor de Keizan, Tettsu Gikai.

Em 1321, aos 58 anos de idade, um templo chamado Morookaji em Noto (atual Prefeitura de Ishikawa) foi doado a Keizan Zenji e ele o rebatizou de Sojiji. Essa é a origem de Sojiji em Yokohama, que é, junto a Eiheiji, Daihonzan (Templo Sede) da Escola Soto Zen.


Keizan Zenji nunca, de maneira alguma, fez pouco dos interesses mundanos das pessoas comuns, e além da prática de zazen fazia orações, rituais e serviços memoriais para ensinar. Isso atraía muitas pessoas e dava a elas uma sensação de paz. Por esse motivo a Escola Soto Zen se expandiu rapidamente.

Mesmo na Escola Soto Zen de hoje, quando todos os templos têm grupos de zazen para servir aos pedidos sinceros dos praticantes, também fazem o seu melhor para atender os pedidos que muitas pessoas fazem para que tenham beneficios em sua vida diária, o que inclui serviços memoriais e funerais.

Keizan Zenji morreu em 1325 com 65 anos de idade. Nos anos seguintes, seus discípulos fizeram um excelente trabalho em assumir Sojiji, na península de Noto. Mesmo assim, o templo foi destruído por um incêndio em 1898. Isso deu a oportunidade para que, em 1907, Sojiji fosse transferido para a sua atual localização. O templo antigo foi reconstruído e nomeado Sojiji Soin e continua hoje com muitos mantenedores e adeptos.

Fonte: Sotozen official site